quinta-feira, 3 de abril de 2014

Resenha EP "Sem Direção" da banda Utopia


Sem Direção!... este é o título do EP da banda Utopia e também como eu me senti quando recebi o mesmo para fazer uma resenha das mãos do baixista da banda Raoni Joseph... Hehehe!!




Pra ser mais preciso foi dia 25 de Janeiro de 2014 na 1ª edição do Projeto Rock Sabbath, o qual a banda Utopia participou. Ou seja fazem exatamente 68 dias que recebi o EP.





Nesse tempinho, mais de dois meses, arrumei um espaço na minha agenda lotadíssima... Heheheh!!!... E me pus no encalço de conhecimento sobre o estilo da banda para que eu pudesse falar com mais propriedade sobre o trampo.





O estilo que a banda tem como proposta é baseado no J-Rock e no Visual Key, ambos de origem oriental e mais especificamente japonesa .







Para que o leitor entenda melhor  vou fazer que nem o Jack!... Heheheh!!... Vamos por partes!








Primeiro o J-Rock que na minha concepção, nada mais é do que a maneira que os japoneses  enxergam o ROCK, o qual abriga vários estilos formando assim o que podemos entender  como “cenário do rock japonês”.




Segundo vem o Visual Kei que é considerado um movimento musical que mistura vários estilos como Heavy Metal, Hard Rock, Hardcore, Metalcore, Punk Rock, New Wave dentre outros e chega a explorar elementos de jazz, musica clássica e erudita, onde as bandas valem-se de figurinos, maquiagens e performances "extravagantes", tendo surgido no Japão na década de 80.


A ênfase nessa aparência extravagante e peculiar pode mudar de “grau” ou seja umas bandas exploram mais que outras esse “artificio” mas quase sempre passam visualmente uma certa androginia, em shows chamativos, onde a exploração do visual esta sempre vinculada a musica e vice e versa!




Antes dessa pequena pesquisa o mais perto que estive de musica japonesa foi quando minha mãe frequentou por um tempo a Seicho-no-ie e nos cultos pude ouvir algo da cultura japonesa e do tal J-Rock, foram as musicas dos seriados japoneses que passavam na TV quando era pequeno, se é que fui pequeno algum dia... Heheheh!!...

Coisas do tipo Spectreaman, Ultraman e mais recentes como Flashman e Changeman e que a cerca de 5 anos atrás conheci varias versões dessas musicas em um estilo mais POWER feito por uma banda brazuca chamada Gaijin Sentai (Vídeo abaixo). 




Escutando o EP da banda Utopia dá pra perceber de cara o tal J-Rock e toda a musicalidade de uma banda do estilo, e também podemos notar traços do Rock BR, não só nos arranjos como também nas letras, já quando me recordo das apresentações que vi da banda e também em vídeos como por exemplo o clipe da musica "Memórias Mortas" que disponibilizo mais abaixo, não vejo a presença do "Visual Kei" no modo de vestir dos integrantes e nem performances "extravagantes" como nas bandas japonesas... Então pensei: "Ou os caras pegam leve nesse "quesito" e se preocupam mais com a musica... Ou a assessoria de figurino da banda precisa de uns toques"...Heheheheh!!

Abaixo segue um vídeo da banda  "D" com a musica "Yami Yori Kurai Doukoku No Acapella To Bara Yori Akai Jounetsu No Aria" (Uffaa!!... Duvido ler o nome dessa musica num folego só!!... Hehehehe!!) e que além de refletir bem a parte "Visual Kei" da parada, mostra também uma das grandes influencias da banda Utopia, tanto que o EP tem uma faixa BÔNUS com um cover dessa musica!




Bem mas o que interessa mesmo aqui é a musica, o ROCK, e isso os caras tem de sobra e com competência, as quatro faixas autorais do EP tem a sonoridade peculiar do J-Rock, porém com letras em bom e claro Português e os temas permeiam os problemas sociais como violência, intolerância, censura, liberdade de expressão, religião dentre outros.

O nível técnico musical dos músicos também é perceptível e não me refiro somente a gravação do EP mas também nas apresentações da banda que tive o prazer de assistir e que me levam a fazer duas pequenas observações.


A primeira é quanto ao baterista da banda Marty Nery que sem sombra de duvidas é um grande baterista, mas "particularmente" não consigo perceber ele na banda... Não o talento dele... É meio difícil de explicar, mas é como se ele não se encaixasse direito ali, como se ele não estivesse presente, uma coisa meio que "automática"... Vejo ele em outros trampos como a banda Adipocera e até mesmo com o Delinquentes e ai sim, nesses casos ele está 100% presente!


A segunda é quanto ao vocal e guitarrista Luã Couto que ao meu ver tem bom potencial, porém, senti tanto no EP quanto nas apresentações e vídeos que vi da banda uma falta de energia, de "empolgação" meio tímido e em algumas horas nos vocais é parece quando se está cantando em falsete e dá a impressão que não vai conseguir chegar nos agudos ou que se esforça muito para tal. Não conheço outro trampo do brother para tecer um argumento com mais "sustância"... Talvez porque eu esteja acostumado a ver o "Front Man" da banda com mais "VIGOR".

Aproveitando o embalo vamos ao resto dos integrantes da Utopia e que também conheço de outros projetos como o guitarrista Paulo Henrique que também faz parte da banda All Still Burns e manda ver na guitarra nas duas bandas.

E no Contrabaixo o meu brother Raoni Joseph sempre performático em qualquer dos trampos que desenvolve e que eu já tive a oportunidade de prestigiar além da Utopia, como Lord Byron, Acordalice e Iza e Seus agregados.


Das quatro faixas autorais a primeira, "Memórias Mortas" e a terceira "Salvação" foram as que mais me chamaram atenção... Ao escutar o EP repetidas vezes e mesmo com a segunda faixa "Intolerância" entre elas eu sempre fiquei com a impressão de que a  terceira musica era uma continuação da primeira... Hehehe!! Não sei se foi intenção da banda ou é coisa da minha cabeça... Heheheh!!

Ai de repente a quarta também começou a me parecer também com a primeira e a terceira e ai tem a participação especial do meu brother Zeh Lucas, ex vocalista da banda A Red Nightmare e atual da banda All Still Burns que despeja seu gultural com vontade e a energia que gosto e estou acostumado em fim aparece... Hehehehe!!!

A gravação foi feita no Estúdio Quarto Amarelo (exceto as baterias, que foram gravadas na AM&T), produzido, mixado e masterizado por Ivan Jangoux, co-produzido por José Lucas Neves, baixo por Raoni Joseph, Guitarras por Paulo Henrique e Luã Couto, vocais por Luã Couto e Raoni Joseph, backing vocais por Luã Couto, Raoni Joseph e José Lucas.

Line-up atual:
Luã Couto - Vocal e Guitarra
Paulo Henrique - Guitarra
Raoni Joseph - Baixo e vocal
Martiniano Nery - Bateria

Tracks:

01- Memórias Mortas
02 - Intolerância
03 - Salvação
04 - Epidemia
Bônus Track - Yami Yori Kurai Doukoku No Acapella To Bara Yori Akai Jounetsu No Aria




Obs:
"Como fiz na minha primeira resenha de uma obra musical que foi a do EP do meu brother Wael Daou intitulado “Ancient Conquerors”, enfatizo aqui que não sou nenhum expert no assunto, pois sou somente um publicitário apaixonado por ROCK.

Porém como publicitário sempre procurei ser versátil em minhas atividades na profissão, até porque é uma profissão que oferece inúmeras facetas, basta saber explorá-las e como eu fui sempre ligado a música, já trabalhei como compositor, produtor e diretor musical em projetos não só de cunho publicitário. Tal vivencia somada a minha relação com a música me sinto a vontade para resenhar obras desse naipe e principalmente as criadas por bandas locais as quais já fazem parte do meu metiê há mais de três anos."


Marcelo Barros

Assista ao clipe da musica Memórias Mortas que é a primeira faixa do EP.



Escute também todas as musicas do EP "Sem Direção" da banda Utopia no player abaixo!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...