segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Cavalera Conspiracy - 05/09/2014


Sexta Feira, 5 de Setembro de 2014, foi minha primeira missão em campo para o blog Metal Pará, Show da banda “Americo Brasileira” Cavalera Conspiracy que se realizou no Botequim.

Vesti minha camisa do Metal Pará e chequei minha câmera “portátil” e junto com meu pai (Marcelo Barros) que me acompanhou nessa missão esperamos nossa carona para o show com Hugo Andrey, amigo do meu pai.


Depois de lancharmos uma pizza deliciosa que meu pai fez (#horitadelabroquita), saímos rumo ao local do evento, porém, infelizmente pegamos um transito bem complicado, tanto na Augusto Montenegro como na Almirante Barroso e por conta disso não chegamos a tempo de conferir a banda de abertura que foi a banda paulista Capadocia.


Formada no ano de 2011 a banda Capadocia que é totalmente independente, descende de uma cena de metal pesado muito forte e influente nos anos 90 e tem como integrantes Baffo Neto no vocal e guitarra, Palmer de Maria na bateria, ambos da formação clássica da banda Retturn, Marcio Garcia na outra guitarra e Gustavo tognetti no baixo.



Mais informações sobre a banda Capadocia nos “Links Relacionados no final do post. 









Dando uma volta pelo ambiente, seguindo meu pai e já fazendo algumas imagens de um casal me pediu para que eu os fotografasse... Os primeiros de alguns que pediram para eu registrar o momento.






Assim que o Cavalera Conspiracy subiu no palco o publico que era “pegueno” foi aumentando e a parte debaixo do Botequim, bem em frente ao palco, ficou bem preenchida e compacta e o entorno e a parte de cima do Botequim ficaram bem mais livres.





Antes do Cavalera Conspiracy, os irmãos Cavalera fizeram história com a banda mineira criada por eles no ano de 1984, chamada Sepultura, a qual se tornou ícone da cena metal brasileira e é considerada a banda brasileira de maior repercussão no mundo.





Além dos irmãos Cavalera a banda contava com dois musicos norte americanos, o baixista Joe Duplantier que deu lugar a Nate Newton que  foi substituido por Johny Chow. Porém, nessa turnê a banda está contando “especialmente” com Tony Campos que não é membro oficial da banda e que já  foi baixista e vocal das bandas Static-X, Ministry, e Possessed e é atual baixista das bandas Soulfly e Prong.




O outro norte americano e  o guitarrista Marc Rizzo que também é membro da banda Soufly (outro projeto de Max cavalera), e que me impressionou bastante, e apesar de eu não entender nada de guitarra, me pareceu que ele toca muito... Rsrsrs.






O vocal Max Cavalera interagiu bastante com a plateia pedindo gritos e pulos e depois escutei de alguns mais “velhos”: - “O cara ficava pedindo pra pular!... Parece até Sandy & Junior pow”.



O tal “Circle Pit” que sempre rola nesses shows de rock rolou diversas vezes e foram bastante intensos,  alguns tentaram fazer o "stage diving" ou “Mosh”, porém, os seguranças estavam atentos e não rolou. Kkkkkkk.






O público estava bem agitado e deram trabalho para os seguranças que tiveram que segurar a barreira de proteção, que fica na frente do palco, com força, e mesmo assim o pessoal continuou empurrando muito.






Durante o show o Max trocou várias vezes de guitarra e segundo o que apurei eles tocaram duas músicas inéditas..."Babylonian Pandemonium" e "Bonzai Kamikaze", que estarão no novo álbum intitulado de Pandemonium, o terceiro da banda e que deverá ser lançado no final de outubro deste ano.


Porém foram os hits do Sepultura que me pareceram ser os pontos altos do show... Musicas como: Refuse/Resist, Territory, Attitude, Inner Self, Beneath The Remains, Troops of Doom, Dead Embrionic Cells, e Roots Bloody Roots levaram o público a beira da ”insanidade”, como diria o meu pai... Kkkkkkk.




Antes do término do show, começou a entrar o público do show seguinte, um tal de "Siqueirão", o que não achei justo, nem pra galera do Cavalera e nem pro público do Siqueirão. Mesmo assim, vi várias senhoras batendo cabeça, alguns até tiraram fotos da banda.




Quando o show acabou, Max Cavalera deu umas duas palhetas, na mão de dois sortudos que ficaram o show inteiro perto do palco acompanhando atentamente tudo o que se passava.
Na saída da banda, tentamos vê-los, mas soubemos que eles já tinham ido embora.


Saindo do Botequim, demos uma volta e fomos pro Litrão do Rock onde escutamos vários comentários a respeito do show e ganhei um refri oferecido pelo Marco Ferreira do ,Litrão do Rock, que me disse que era pra quando eu for cobrir outros eventos avisa-lo para que ele traga refri e água mineral pra mim... Rsrsrsrs... Muito gentil ele, na verdade, os dois são muito gentis e legais, tanto o Marco, quanto o Jorge, que me ofereceu um banquinho para que eu não ficasse em pé.


Alguns foram para ouvir músicas do Sepultura, outros queriam ver os irmãos Cavalera juntos no palco.
Teve gente que não gostou muito do som da bateria.




Cada um com seu gosto, certo? Certo. Mas, no geral, a banda agradou bastante o público e o evento valeu tanto a pena que até o clone do Papa Emeritus, vocalista da banda Ghost B.C, esteve prestigiando o evento... Kkkkk.




Parabéns para a Blackout Discos que viabilizou o evento aqui em Belém e em especial ao amigo Alcides Burn que disponibilizou as cortesias para o blog Metal Pará.






Em Dezembro a mesma produção deverá trazer à Belém a banda de Death Metal estadudinense Suffocation e estamos na torcida para que neste evento uma banda paraense possa fazer as “honras da casa”.



Assista ao vídeo abaixo gravado pelo brother Anderson Moraes com a música Roots Bloody Roots, um dos pontos altos do show e confira todas as fotos desse evento clicando no cartaz no topo desta postagem e COMPARTILHE a mesma em sua rede de amigos no Facebook e ajude a divulgar a sua cena!!


Vídeo:






















































































Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...