sábado, 9 de setembro de 2017

Sangue Autoral Fest - 02/09/2017

No último Sábado, dia 02 de Setembro de 2017 eu estive pela primeira vez cobrindo um evento na tão falada Confraria do Rock!!!

A convite dos nobres Guilherme Damasceno e Fábio Trindade, que fecharam a cobertura logo após nosso encontro no Metal Reunion Festival, que rolou na Casa Verde em Marituba e que você poderá conferir a matéria desse evento clicando AQUI!!!

O evento na Confraria do Rock se chama Sangue Autoral Fest e foi o primeiro de uma série que tem como objetivos abrir espaço para as bandas AUTORAIS e arrecadar fundos para sanar alguns percalços que atingiram a Confraria do Rock e ameaçaram fecha-la!!





Por volta das 17:30h do Sábado, acionei um UBER autorizado pela produção do evento e segui para o local do mesmo confortavelmente, com ar climatizado e escutando aquele ROCK clássico que o motora colocou no som do carro assim que eu entrei no mesmo... Porque será???... Heheheh!!!



Cheguei na Confraria uns 15 minutos depois e a produção estava dando os últimos ajustes e não demorou o galeroso do ROCK foi chegando devagar para prestigiar o evento e aquela BROQUITA servida pela nova parceria da Confraria Do Rock... Restaurante Refúgio.





Dei uma geral nos QUATRO ambientes da casa (sem contar com a calçada que é ocupada com mesas e cadeiras) e gostei muito do lugar, o qual é aconchegante e decorado de acordo como podemos notar pelas fotos.





Por volta das 20:40h a primeira atração da noite toma o palco da Confraria do Rock que fica no segundo andar do prédio, ressaltando que o local todo é climatizado e o segundo piso recebeu um tratamento acústico para não incomodar a vizinhança e evitar problemas futuros.




E a primeira atração da noite foi nada mais nada menos do que a banda Facewar!!!



Pra quem ainda não saca a banda surgiu no mês de Outubro do ano de 2015. Formada por remanescentes da banda Ceifador, a qual só consegui registrar uma única vez antes dos caras encerrarem suas atividades, mais precisamente no último evento realizado pela ARP - Associação do Rock Paraense, e esse registro você pode conferir clicando AQUI!!!

Sendo assim a banda Facewar conta com Moisés Machado, o MOA da banda Morpheus e da Ceifador no Vocal, Lobo (Ceifador) na Guitarra, Jorge "Mugica" (Ato Abusivo) no Contrabaixo e Guilherme Trindade (Ceifador) na Bateria.












Oficialmente a banda estreou no dia 23 de Janeiro de 2016 no município de Santa Luzia do Pará, e posteriormente já se apresentou nas cidades de Barcarena, Castanhal e Santa Izabel, tendo sua estreia na capital Belém no dia 05 de Março no evento Attack Headbanger 2.

Os caras são influenciados por bandas como: Sodom, Kreator, Slayere e Anthrax e produz uma sonzeira nervosa com temas que abordam o caos da humanidade e problemas mundiais. 






Show dos caras foi redondinho e bem executado como de costume e repito o mesmo termo que usei em outras ocasiões sobre o vocal do MOA!!!... Altamente ABISSAL!!!

Destaque para as musicas "The Beast" e "The Plague"(Vídeos).



Uma pausa depois do showzaço da Facewar para fazer algumas imagens e acabei flagrando o programa Vai Que Dá Rock entrevistando os integrantes do Facewar!!! 









Na sequência, toma o palco do Sangue Autoral Fest a banda Terminus Est!!!

Também foi a primeira vez que prestigiei e registrei essa banda e gostei da onda dos caras.

No vocal e guitarra o nobre Egon Mayers, que conheci a alguns anos atrás (2013) em outro projeto de nome New Born, o qual cheguei a fazer dois registros, os quais você pode conferir clicando AQUI!! e AQUI!!!






Na outra Guitarra o brother Milton Khelliton, no Baixo o nobre Eldio Campos (Ex "Hórus Metal") e Elison Bruno na Bateria formam a banda Terminus Est!















Segundo o release disponível na page da banda no Facebook, a Terminus Est é um projeto voltado para o Death Metal Melódico que surgiu em meados do ano de 2013 e concebido pelo vocalista e guitarrista Egon Myers junto ao outro guitar man Ângelo Silva.

"Inspirados nos trabalhos mais saudosos de bandas como In Flames, Dark Tranquillity, At the Gates, Carcass e Arch Enemy." O projeto também é influenciado por nomes como: In Flames, Sepultura, Hypocrisy, Dimension Zero, Cannibal Corpse, Old Mans Child & Dimmu Borgir.



A banda contava anteriormente com Del Thiago (guitarra), João Guedes (Baixo) e Lucas Martins (Bateria).











No ano de 2014 a banda lançou o Single "Neurological Beast" e fez algumas participações em eventos na cena underground local promovendo este trampo. Porém, no final do mesmo ano, devido a problemas pessoais e divergências musicais de alguns integrantes a banda encerra suas atividades.



Após três anos de hiato o nobre Egon Mayers, único remanescente da primeira formação do projeto assume uma das guitarras e convida o guitarrista Milton Khelliton, o baterista Elison Bruno e o Baixista Eldio Campos para retomar as atividades da Terminus Est.

Os temas abordados pela banda em suas musicas permeiam doenças e transtornos mentais, Ufologia, pesadelos, fragilidade da vida, comportamento humano e fantasias doentias.







Ainda neste ano de 2017 a banda pretende lançar seu álbum debut, intitulado "The Evil Inside Their Minds and Hearts" e os caras estão trabalhando com esse foco!!








Quanto a apresentação da banda no Sangue Autoral Fest foi PHODA e a galera que estava presente pirou o cabeção mesmo!!!









Assim como a Times Of War, também preciso prestigiar e registrar mais shows da Terminus Est para tecer comentários mais profundos a cerca das performances dos caras... Mas que foi PHODA foi!!!... heheheh!!!

Destaque para musica "Strange Existence"(Vídeos).

Uma retirada estratégica para me reidratar com aquela breja geladinha gentilmente oferecida pelo meu brother Hugo Andrey, Guitarrista da banda Thunder Spell que estava curtindo na Confraria do Rock.





Aproveitei a ocasião para fazer algumas imagens também do galeroso do ROCK que colou no evento e não demorou muito tive que voltar ao front!!!


Dessa feita para registrar pela primeiríssima vez a banda do meu brother Augusto Logan... Times Of War!!!



A banda é formada atualmente por Augusto Logan no Vocal, Adam Coutinho e Renan Mastodonte nas Guitarras, André Xavier no Baixo e Joe Augusto na Bateria.

Bati um papo informal com o nobre Renan Mastodonte pelo Facebook e ele me disse que foi o último integrante a entrar na banda...









Renan Mastodonte:
- Fui chamado para substituir o guitarrista Adam da banda enquanto ele iria viajar, porém eles gostaram de mim e me adotaram.














A banda é o primeiro projeto que o brother Renan participa e de brinks se considera o "5° Power Ranger" da banda... Hehehhe!!!




Renan Mastodonte:
- Nossas influências vem diretamente de Metalcore, New Metal, Hardcore. Posso dizer que somos uma mescla de muitos estilos além desses citados.

Renan Mastodonte:
- O nosso objetivo principal é traçar um caminho diferente de outras bandas, sempre inovando, buscando novidades, fazendo diferente do que muitos já viram. Além de manter em aberto a nossa comunicação com amigos, fãs, e pessoas desconhecidas a dar suas opiniões.

Renan Mastodonte:
- Nossas letras além de abordar o tema romântico, também faz menção guerras, violência, no caso tudo que releva ao contexto da humanidade!







Posteriormente falei com o nobre André Xavier também pelo Facebook e ele discorreu bastante sobre a "história" da Times Of War!!!... Confira a seguir!!!







André Xavier:
- A TIMES OF WAR é um projeto de banda de mais de 10 anos, idealizado por mim, e pelo Adam (guitarrista). Vem da época em que éramos estudantes de música no conservatório Carlos Gomes, junto com outras pessoas conhecidas de outras bandas como o baterista do Confronto Interior (Eder) que nos apresentou o Augusto nessa mesma época, antes dos projetos dele com a Immortal Shape e outras.

André Xavier:
- Tentamos formar a banda nós 4, mas não saiu do quarto onde a gente se reunia e tanto Eder quanto Augusto foram seguir com suas vidas.
- Durante esse tempo, por diversas vezes Adam, Eder e eu continuamos a discutir sobre esse nosso ideal, a buscar influências, e a frustração ia se acumulando (isso é importante), as dificuldades da vida se mostraram mais fortes, cada um foi focar na sua vida profissional e em seus outros projetos, deixamos a Times num processo de incubação, por diversas vezes nos juntávamos pra tocar alguma coisa por diversão, pra compor alguma coisa e ficava por ali mesmo, sem entrar no circuito musical.

André Xavier:
- Enquanto isso o Adam foi tocar na extinta Legítima Defesa, banda a qual contou com o Eder por um tempo, e depois o Eder seguiu a vida dele com as outras bandas até chegar na confronto, estou falando do Eder porque ele tem total influência sobre a nossa volta mesmo não sendo da banda.

- Anos mais tarde resolvemos começar a tirar do papel, investir em material, instrumentos, pedais, voltar a treinar no tempo que nos cabia, chamamos novamente o Eder que até então toca no confronto e começamos a correr atrás de um vocal.




André Xavier:
- Depois de várias tentativas apareceu o Cesar, do nada, entretanto o baterista não aprovou a entrada dele por causa dessas rixas fúteis que rolam nos bastidores da “cena” tomando partido por outras pessoas, ainda mais com o Cesar. Foi aí que eu decidi, conversei francamente com o Adam e com aquela revolta, resolvemos que não tomaríamos partido de ninguém, não iríamos julgar o Cesar por qualquer coisa que não tivesse relação com a gente.

- Bancamos a volta do Cesar e o Eder saiu! (digo essas coisas porque elas são importantes pra concepção da banda, o nome dela, e o ideal).








- Depois que tomamos conhecimento sobre todas essas besteiras que acontecem nesses bastidores, todo esse egoísmo e vaidade que existe, carregando também aquele sentimento de frustração nosso (Adam e eu) e do Cesar (saindo da Immortal Shape), resolvemos por nossas diferenças de lado e buscar uma reação, oposta a tudo o que estava nos afligindo, nasce a Times of War, que tem exatamente essa proposta, mostrar a verdade por trás de todas essas coisas, mostrar essa guerra que existe no interior de cada pessoa, o que cada um precisa fazer pra conseguir passar por cima do orgulho, da avareza, do egoísmo e mostrar que todas essas besteiras não tem importância, que podemos ser melhores.

André Xavier:
- Isso, por que na realidade, tudo de ruim que acontece, seja na política, nas relações sociais, nasce naquele momento em que cada pessoa, influenciado pelos seus sentimentos, toma uma decisão! é a Times of War (TOW)! Não somos uma banda religiosa, também não somos ateus, nem nada disso, cada um na banda acredita no que quer, não acreditamos que diferenças religiosas ou políticas sejam mais importantes que o ser humano.

André Xavier:
- A banda criada, o Cesar entrou em contato com o nosso baterista (Joelias), e posteriormente a do Renan, por conta tanto da disponibilidade do Adam em alguns momento na qual ele seria obrigado a se ausentar, quando também pela necessidade de ter uma guitarra a mais.

- Tanto a entrada do Joelias quanto a do Renan Mastodonte se deram por intermédio do Cesar. São dois jovens excepcionais, completaram 18 anos recentemente, além de serem ótimas pessoas e compreenderem o objetivo da banda, nossa, os caras tocam mais do que eu aos 18, pro Adam, Augusto e eu essa banda é uma conquista e uma resposta, mas pro Joelias e pro Renan acredito que seja bem mais que isso, eles estão iniciando com a gente uma caminhada, creio eu, mais bem sucedida que a nossa.

André Xavier:
- Acredito que eu não esteja criando a Times pra mim, e sim pras outras pessoas, para o Joelias, para o Renan, pra quem ouvir, essa banda tem que ser algo mais, tem que deixar um bom legado.


- Não buscamos ficar presos a um sub-estilo musical como metal core, new metal, death e etc, nossa proposta é fazer algo mais alternativo misturando os estilos, com letras em dado momento agressivas, e outros reflexivas, e até de amor, alguns detalhes de ritmos latinos como salsa pra dar uma agregada interessante, vocais limpos, drivers e guturais... e muita pauleira. No momento nos segmentamos como metal hard core. Mas ficar preso a isso não é uma alternativa.

André Xavier:
- O processo de composição é participado a todos, eu escrevo algumas letras, outras o Augusto, o Adam e quem mais quiser, deixamos todos os integrantes com total liberdade de participar, os arranjos seguem a mesma linha, tentamos fazer da banda uma extensão da nossa família, acima de tudo somos amigos. A banda é o resultado de todas as diferenças dos músicos, e das nossas diferenças com tudo que está a nossa volta.

O nobre André Xavier ainda disponibilizou a letra da musica que dá nome a banda e que gravei o vídeo como "destaque"(Vídeos)... Confira abaixo!!








"Tempos de Guerra"

Letra: Augusto logan/André Xavier
Meu sangue ferve, anunciando sua traição
O ranço da vaidade, modificando sua razão
O ódio e rancor corroem em minhas veias
Alimentando essa revolta




Ideologia artificial do politicamente correto, o poder está nas mãos 
Dos que agem nas sombras, mercadores da morte..

Quem somos nós? quem somos nós?




Tempos de guerra aniquilando sua convicção
Irracional, como podemos saber?
Tempos de guerra, em busca da sua redenção
Quem eu sou? quem é você?Quem somos nós? de onde viemos?
Quem eu sou? quem é você?
Quem somos nós? de onde viemos?



Todos dias lutamos pra entender
Todos dias lutamos pra compreender

Não importa quem somos
Nem de onde viemos
Em tempos de guerra a paz não está.




Quanto ao show dos caras no Sangue autoral Fest foi PHODA!!!... cheio de energia e atitude. Porém, preciso prestigiar mais apresentações da banda para poder falar com mais propriedade... Quem sabe em um palco maior onde eu possa observar a performance de cada um e tal!!!

Destaque para musica "Tempos de Guerra"(Vídeos).



Eis que chega a vez da banda de "Stoner Alternative Metal" Shildrain fechar a programação de shows da primeira edição do Sangue Autoral fest!!!

Segundo o release disposto na page da banda no Facebook, a mesma foi idealizada pelo nobre Alexandre Barbosa, que é Vocalista e Guitarrista da banda, com objetivo de fazer um som diferente, no qual pudesse "mesclar as suas diversas influências dentro do metal, mas não unicamente desse estilo..."

As letras das musicas da Shildrain questionam vários tabus, tentando fazer uma espécie de "alerta" ao público "sobre diversos problemas que, quando não são colocados para 'fora' de si, podem nos prejudicar de forma irreversível."

Ainda segundo o release, as letras funcionam como um dreno, o qual expurga tudo que é ruim e faz mal à mente e ao corpo.

Temas como suicídio, moléstia infantil, trabalho escravo e corrupção são permeiam as musicas da Shildrain!

Quanto ao nome da banda o nobre Alexandre Barbosa me deu uma explicação após o show na Confraria... Que o mesmo seria a "fusão" de três palavras distintas... Shy, Child e Drain e que resultou em SHILDRAIN.

A banda surgiu em meados do ano de 2000 e encerrou suas atividades no ano de 2005. porém, em 2015 o nobre Alexandre Barbosa retomou o projeto e o que antes era um "power trio" que contava com o Baixista Marcus Patrick, seque até o momento como um "DUO" com Alexandre no Vocal e Guitarra e o brother Augusto Maia na Bateria!!

Brevemente a banda estará lançando seu primeiro single com a música "Trash" para fazer a divulgação do seu primeiro EP.

Quanto a apresentação da "DUPLA" eu achei muito interessante esse "formato" em que o projeto se encontra. Me remeteu imediatamente ao DUO paulista TEST...

O qual tive o prazer de registrar em duas oportunidades, uma no ano de 2011 e outra no ano de 2012, as quais você pode conferir respectivamente clicando AQUI!! e AQUI!!... E também fiz uma entrevista exclusiva com o nobre João Kombi, que é Vocal e Guitar man da mesma e que você confere clicando AQUI!!!

Claro que também precisarei prestigiar e registrar mais shows dessa dupla PHODA!!!... No entanto já deu pra perceber claramente a vibe dos caras e o som POWER que o DUO produz é altamente vigoroso. Porém, com passagens lentas e cadenciadas que dão aquela "quebrada" para logo em seguida voltar com fôlego total!!!

Destaque para musica "Suicide", a qual foi inspirada no suicídio de um primo do nobre Alexandre Barbosa!!!!(Vídeos).








E assim foi a primeira edição do Sangue Autoral Fest... Muito PHODA!!!

Obrigado a Confraria do Rock pela oportunidade, lembrança e confiança no trampo do Blog Metal Pará!!
Já ansioso para ser chamado para fazer a cobertura da segunda edição do Sangue Autoral Fest!!!

Ops!!!... Pera que no final ainda rolou uma Horita de La Broquita Especial, onde degustei o Sanduba de Carne oferecido pelo Refúgio e preparado pelo meu nobre Guilherme Damasceno!!... DILÍCIA!!!... Confira no vídeo abaixo!!!




Assista aos vídeos abaixo, confira todas as fotos desse evento clicando no cartaz no topo desta postagem e COMPARTILHE a mesma em sua rede de amigos no Facebook e ajude a divulgar a sua cena!!


Vídeos:























































































































































































Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...